terça-feira, 17 de novembro de 2020

#24 - Tese do Urânio - Empresas e como eu invisto

Bom dia povo, tudo tranquis?!

Hoje vou trazer o ultimo post da tese do urânio. Já abordei vários assuntos que eu acho desse investimento, o potencial, riscos e tudo mais(aqui, aqui, aqui eeeee aqui). Nesse daqui vou falar como eu invisto e falar bem por alto algumas empresas que já estudei.

O mercado de urânio é um mercado beeeeemmm a parte do mundo, afastado mesmo, ele é outra realidade que vai depender basicamente do preço da sua commoditie, que também é outra realidade a parte. Pra investir nesse mercado o investidor tem que saber investir em empresas internacionais, pois as maiores do setor não estão em um único país, mas sim bem espalhadas, os principais países são Austrália, Canadá, EUA e Casaquistão.

Mas antes de querer achar a empresa perfeita e colocar seu suado dinheiro nela o investidor precisa de uma corretora que conecte ele a esses investimentos. No meu caso eu uso a corretora Interactive Brokers, que é uma corretora dos EUA que te dá acesso não apenas ao mercado americano, mas a maioria dos mercados desenvolvidos no mundo inteiro, podendo comprar ações americanas, canadenses, europeias e por assim vai. 

É uma corretora pra traders mas que não deixa de suprir as nossas necessidades de comprar um papel e guardar. O único problema dela na minha opinião é o custo, ela cobra $ 10 por mês e cada corretagem custa $ 1, naquele estilo de que a corretagem "come" da custódia, isto é, você teria 10 corretagens "grátis" por mês. 

Depois que ter uma corretora pra acessar o mercado é hora de cair no investimento, vou começar falando dos ETFs, que são mais fáceis de investir e explicar.

O ETF que mais gostei desse ramo foi o HURA (não confunda com URA por favor hehe). O foco desse ETF é se expor ao mercado puro de mineradoras de urânio e da industria mais perto do processo da mineração. Isso porque o minério quando é extraído ainda não está pronto pra ser combustível, tem toda a cadeia de limpeza, transforma no Yellow Cake, enriquecimento e modelamento em baterias. Esse ETF é de Toronto, então suas cotas são compradas em Dollar Canadense. Ele é relativamente novo, foi criado em maio de 2019 e tem uma taxa de administração de 0,75%. 

Eu gosto dele porque 40% do fundo está nas duas maiores empresas do setor, 20% na Cameco e 20% na Kazatomprom, depois vai se distribuindo pelas empresas médias e por fim se divide em várias small caps.

O segundo ETF é da própria bolsa americana (NYSE), o URNM. Esse fundo foi criado pra acompanhar a performance do setor de urânio como mineração, exploração, desenvolvimento e produção do combustível, assim como holding do próprio urânio físico e outras empresas não relacionadas com mineração. A taxa de administração dele é de 0,85% e assim como o HURA as duas maiores posições são as duas maiores empresas do setor, a Cameco e a Kazatomprom, com a diferença que é 15% pra cada. Esse ETF é mais "distribuído" em relação as outras empresas, apresentando empresas médias e promissores no centro e em menor proporção as small caps com alto potencial.

Há um outro ETF no mercado, o URA, mas que não atende ao quesito da tese de investimento então nem vou me alongar nele.

Agora sobre empresas do setor, estudei algumas por alto e achei algumas bem legais, vou tecer alguns comentários rápidos sobre elas.

A Cameco (NYSE: CCJ) é a segunda maior produtora de minério de urânio e uma das que mais tem caixa pra segura essa onda de mercado em baixa. Tem um caixa bilionário que segura tranquilo mais de 10 anos sem produção, mas da mesma forma ela é muito grande e não deve ter uma valorização tão expressiva, dá pra comprar ela pela NYSE tranquilamente.

A Kazatomprom (FRA: 0ZQ) é a maior produtora e só em 2019 produziu 40% da produção mundial!! E também é a que tem maior margem líquida (ou lucro mesmo hahah), isso porque ela tem o menor custo de produção de todas as empresas e consegue ser rentável mesmo com o preço do urânio custando $30. Mesmo sendo lucrativa pra quer ganhar $30 se ela pode ganhar talvez $60 ou $80 por libra no curto/médio prazo? É por esse motivo que ela vem reduzindo a produção e tem plano de fazer isso até 2022 e depois estagnar, anunciando que só irá aumentar a produção quando o preço responder com respeito hehe. Outra curiosidade dela é que ela abriu IPO recentemente na bolsa de Paris.

A Denison Mines (NYSE: DNN) é uma empresa canadense de mineração e tem um excelente projeto, o Wheeler River Uranium Projects. Na minha visão ela tem muito a ganhar caso o preço ajude, então é uma com bom potencial de alta.

A NexGen (NYSe: NXE) é outra empresa canadense de mineração com um projeto promissor (Project Arrow), mas nesse caso precisa de um bom tempo pra que ele saia do plano das ideias e talvez não seja tão beneficiada se houver algum bull market. 

Empresas maiores do setor, aquelas com menores riscos: Cameco, Kazatomprom, NexGen.

Empresas de porte médio e que valem uma olhada: Denison Mines, Fission Uranium, Uranium Energy Corporation, Ur-Energy, Yellow Cake.

Empresas mais arriscadas: Paladin, Energy Fuels, Goviex, Laramide e Plateau.

Empresas totalmente especulação: Fission 3.0, Skyharbour Resources, Blue Sky Uranium, Encore Energy, Texas Minerals e Azarga.

Tá aí a minha contribuição com uma lista de estudos pra quem quiser entrar nessa empreitada. Sei que eu não devo influenciar quase ninguém a querer investir nesse mercado doido, mas pelo amor de jeová não invista sem conhecimento, não invista sem conhecer a empresa e não invista só porque viu essas "dicas", eu fiz meu dever de casa antes de colocar o meu dinheiro e estou tranquilo pro lado que for essa budega, então faça o seu dever também (se te interessar é claro hehe).

Atualmente eu estou mais interessado em achar small caps pra investimentos aqui nas terras tupiniquis mesmo. Pra quem quiser ver mais ou menos como é meu estilo de análise para small caps eu fiz recentemente um vídeo pro canal sobre o potencial que vejo na Sinqia, uma small cap de tecnologia daqui e devo trazer outro vídeo com a análise do 3T20 e algumas novidades do ano de 2020. Pra quem tiver essa curiosidade está aí o vídeo.


É isso, espero falar disso aqui de novo só quando for falar que ganhei milhões com isso (eita menino sonhador hehe). Como sempre deixem seus comentários aí pra gerar aquele papo e também porque valorizo bem essa interação que temos. Bjs

TR

10 comentários:

  1. TR,
    Sempre bom diversificar dentro da tese de urânio também. Vai que tudo dê certo, e alguns ativos subam bem mais que os outros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, é um dos motivos do porque invisto tanto nos ETFs quanto nas empresas em menor proporção =)

      Excluir
  2. Mais um post excelente da tese de urânio, meu Deus, esse blog é uma escola tal como o nome já diz.

    Fiquei muito pensativo sobre urânio, é algo que quero me aprofundar um pouco mais e entender os ciclos do mercado, me parece uma boa opção para ganho de longo prazo no mercado financeiro, tal como é o plantio de mogno na agricultura.

    Abraços,
    Pi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, valeu pelo elogio, em breve não será tão escola assim =)

      O profundamento no assunto é bem interessante, é bem legal entender os ciclos de mercado (se quiser ir mais fundo leia o livro Dominando ciclos de mercado do Howard Marks), mas não é uma opção tão valida assim pra ganhos no longo prazo não, primeiro pode nem ser longo prazo e segundo que pode nem ter ganho hahah.

      Abçs

      Excluir
  3. Isso aí, tem que estudar para entrar no mercado, ainda mais em commodities

    ResponderExcluir
  4. Boa noite meu querido,

    Você levantou capital por meio de agiotagem? Gostaria de trocar uma ideia contigo, entrei pro ramo! Abs.

    ResponderExcluir