sexta-feira, 16 de outubro de 2020

#21 - Meus Investimentos em Milhas - Lucrei mais de R$ 30 mil

Fala Galera, beleza?

Esses dias eu estava visitando os blogs dos amigos daqui da finansfera e me deparei com um que estava começando os investimentos em milhas (desculpe, não lembro quem era) e acabei postando nos comentários o que eu achava do mercado e mais alguns detalhes. No fim ele me propôs falar um pouco sobre o assunto e decidi fazer esse post explicando toda a minha trajetória nesse investimento e o porque eu sai, mesmo lucrando muito com isso. 

Antes do tudo, o que é investir em milhas?

Sabe milhas aéreas? Aquela que o pessoal fala que viaja de graça porque ganhou tantos pontos no cartão de crédito, pois bem, essa mesmo! Milhas são basicamente usadas para se comprar passagens aéreas sem a necessidade do dinheiro, é um mero substituto. Investir em milhas nada mais é do que comprar essas milhas barato e vender caro, nada muito diferente do que algumas pessoas pensam da bolsa de valores.

Pra se conseguir milhas há poucos caminhos; ou você gasta muito em um cartão de crédito que tem essa "vantagem" de converter seus gastos em pontos e depois esses pontos em milhas aéreas; ou consegue ganhar as milhas diretamente viajando com as companhias de aviação; ou pode comprar ela diretamente com as próprias emissoras de milhas, como Smiles ou Multiplus. 

A questão central no investimento de milhas é que há uma disputa no mercado para que você traga seus pontos do cartão de crédito para certa companhia de voo. Se você tem um banco qualquer, seja, Itaú, Santander, BB, Bradesco ou qualquer outro você pontua nele e as empresas de aviação querem que você gaste esses pontos nas viajem deles, assim, há um incentivo para que você transfira seus pontos pra Azul, Gol (Smiles), LATAM (Multiplus) ou Avianca (falecida já hehe). Essa disputa por clientes faz com que essas companhias citadas façam promoções de transferência e, nesse ponto, algumas são muito vantajosas e é aí que lucramos.

Por exemplo, você tem 10 mil pontos no Banco do Brasil e quer usar eles pra viajar, a Smiles oferece que se você transferir esses pontos do BB pra milhas Smile  e você ganha um bônus de 100%, isto é, transfere 10 mil e ganha mais 10 mil, totalizando, no final, 20 mil milhas Smiles. A sacada da companhia é que uma vez que seus pontos estão na Smiles você só consegue "comprar" voos da Gol, da mesma forma que são as outras companhias, então quanto mais agressivo é essa promoção mais voos a Gol vende no final. 

O investimento começa comigo comprando pontos em algum cartão de crédito de alguma forma, espero alguma promoção boa sair, transfiro os pontos com bônus embutido e depois vendo as milhas, auferindo o lucro no final.

Como que eu investi? 

Eu decidi comprar milhas pela Livelo, basicamente a empresa de pontos do Banco do Brasil e do Bradesco se não me engano. Eu assinava o Cluve Livelo 20000, que me dava 20 mil pontos por mês pelo preço de R$ 649,90, mas nessa época tinha o bônus por assinatura também, que ganhava mais 20 mil pontos distribuídos ao londo de 1 ano de assinatura. 

E a empresa que decidi vender a maioria das milhas foi a Smiles, então assinei o Clube Smiles 1000, apenas pra ser Clube Smiles e poder ter direito ao maior bônus nas transferências. Eu pagava R$ 42 por mês e tinha direito a 1000 por mês mais 7000 milhas por bônus de assinatura. 

Depois disso era só ir acumulando e pagando as mensalidades até vim uma promoção da Smiles de transferência. Eu escolhi ela justamente porque ela é a que oferece os maiores bônus e as promoções mais frequentes também. A livelo também tinham ótimas promoções que eu podia comprar pontos com eles com 40 ou 50% de desconto. Conseguia comprar o milhar (mil milhas) por 35 reais cada, enquanto que na assinatura da Livelo o milhar saia por volta de R$ 30.

Geralmente eu só pegava promoções de 100% ou 120% de bônus, depois ia na Maxmilhas e vendia (tem outras companhias, mas a Maxmilhas era a mais fácil e com os melhores preços).

No começo vendia cada milhar por R$ 23 reais, o que eu transferia eu já tentava vender, aquela ansiedade de querer ver o dinheiro entrar porque por meses só vi saindo. É só fazer as contas, pagava por volta de R$ 30, pegava promoções de 100% a 120%, então meu preço-médio por milhar era por volta de R$ 15 ou menos e depois vendia por 23, é uma rentabilidade muito boa de mais de 50% em alguns meses. 

Só que teve dois fatores que fizeram eu dar um "boom" melhor ainda. Primeiro, cada conta da Livelo era um CPF e cada conta da Smiles também, pra ter mais pontos eu teria que ter mais CPF, então fui nos caras que moravam comigo na época e ofereci um rodizio de sushi grátis se eles abrissem uma conta na Livelo e fizessem a assinatura de 20000, mas eu que pagaria claro. Fiz isso com 3 amigos e fiquei no total com 4 contas, gerando 80k pontos por mês o que dá por baixo 160k milhas por mês. Isso aumentava o número de milhas que eu conseguia vender e consequentemente a quantia que lucrava.

A segunda melhora era porque eu estava vendendo passagens baixas, de 20 milhar até 50 milhar, que são passagens dentro do Brasil. Quando eu comecei a acumular mais vi que se eu vendesse em maiores quantidades o valor do milhar subia muito. Então comecei a vender passagem só acima de 100k, que são as internacionais, e por incrível que pareça elas eram vendidas quase que instantaneamente, poucas pessoas vendiam acima dessa faixa, daí o preço por milhar ficava em 28 ou 29 reais.

Além disso tudo, eu tinha no meu cartão uma despesa de 2800 reais por mês, que me geraram mais alguns pontinhos bons. Outro grande lucro também era vender por fora, eu morava em um alojamento da faculdade que tinha alunos de todo país, nas férias todo mundo voltava pras suas respectivas casa e eu vendia a passagem pra eles. Ele me dizia qual queria e eu ia e comprava e depois me transferia o dinheiro. Isso dava um lucro muito maior, coisa de 30 a 40 reais o milhar porque eu que decidia o preço da passagem, basicamente olhava a passagem mais barata por dinheiro e aplicava um belo de um desconto e eu ainda saia muito na vantagem

Resumo da ópera, fiz isso por um pouco mais de um ano, vendi mais de 2,5 milhões de milhas. Gastei mais de R$ 45 mil reais pra comprar as milhas e faturei mais de R$ 75 mil. Em um pouco mais de um ano lucrei mais de R$ 30 mil pra um trabalho pífio, simples, sem desgaste nenhum. Não tinha estresse, era menos de 20 min por mês se duvidar, a única coisa que precisava era pagar as mensalidades e assinar o email list pras promoções. Sempre pipocava promoção de 60% e 80%, mas eu tinha feito um estudo antes e vi que sempre tinha a cada 2 ou 3 meses promoções de 100% ou mais, então era só esperar.

E isso porque contabilizei apenas as milhas que vendi, eu até hoje tenho milhas na minha conta pessoal, uso elas pra converter em Uber Cash e uso no Uber ou Uber Eats, além de ter pago várias passagens pra minha mãe rodar por aí. O motivo que não gastei mais em passagens é simplesmente porque não vejo vantagem, viajo pouco pelo Brasil e geralmente de ônibus, passagens de avião com antecedência sai mais barato por dinheiro do que por milhas. 

Mas porque eu não continuei? Porque parei de comprar milhas pra vender?

Simples! Porque o mercado sinalizou que o cerco ia fechar. A Smiles não ligava pra esse comercio secundário, mas a Multiplus sim, ela era uma defensora apenas do uso pessoal da milha, isto é, minhas milhas não podem ser usadas para outras pessoas. Eu já sabia disso quando entrei e também foi um dos motivos de ter escolhido Smiles e não Multiplus. Um pouco tempo depois a Multiplus lançou uma politica que não podia comprar passagens pra outros CPF e a Smiles sinalizou que iria seguir esse caminho também. Eu já fiquei esperto e diminui o número de mensalidades, parei de pagar as 3 contas extras e fiquei só com a minha. Uns meses depois a Smiles fez com que a partir de uma data X cada conta só poderia comprar passagens pra outras pessoas para apenas 10 CPFs diferentes por ano, eu vendia pra mais pessoas do que isso por mês, então nesse aviso eu já cancelei meu plano e "pulei" fora do mercado.

Pouco tempo depois eles atualizaram o sistema e facilmente bati o limite de 10 CPFs e fiquei com as minhas que eu tinha lá até então sem possibilidades de vender, conseguia usar comigo e com um amigo que sempre comprava comigo e o CPF dele já estava entre os 10. Esse foi o motivo porque eu parei e acho que parei no momento certo, sobrou umas 200k milhas pra mim (não contabilizadas nos cálculos) e uso elas desde então, basicamente ando de Uber e peço Uber Eats "de graça" a uns 2 anos hahah.

Outro motivo que acho que investir em milhas agora é furada é simplesmente o momento atual. Há poucas viagens acontecendo, poucos voos, poucas milhas pra serem compradas, não sei nem quanto deve ta o preço na Maxmilhas mas deve ter caído muito, não lembro ao certo mais acho que alguém tinha me dito que estava menos de 20 reais, cruzes! 

E aí, o que acharam desse tipo de investimento diferente? Como eu já disse por aqui eu já testei de tudo e avalio se eu gostou ou não hehe. Acho que o post ficou grande mais da pra matar a curiosidade da maioria dos leitores, qualquer dúvida já manda um comentário ai.

TR

10 comentários:

  1. Rapaz!! Você é bem criativo quando o assunto é investimento. Tem uma curiosidade nata. Tenho muito o que falar não, se ganhou dinheiro mandou bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Anon, não sei se a palavra certa é criatividade porque não fui eu que pensei ou elaborei isso, apensa fui atrás e testei, já tinha muitas pessoas que faziam isso e lucravam muito mais, com mafias de conta e por aí vai, eu fiquei só no básico mesmo.

      Em questão de ganhar dinheiro sempre fui muito atrás disso pois foi algo que sempre faltou pra mim na infância e "me prometi" que quando eu tivesse algum ia fazer ele suar hahaha

      Abçs

      Excluir
  2. Eu já tinha ouvido falar sobre o investimento em milhas, mas é primeira vez que leio um relato sincero sobre o funcionamento na prática e achei muito interessante, pena que o mercado acabou.

    Minha relação com milhas é praticamente Zero, eu acho que tenho só algumas centenas de milhas acumuladas no meu cartão de crédito, nunca resgatei ou algo do tipo, acho difícil acumular milhas hoje em dia.

    Abraços,
    Pi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mercado não acabou, só está um pouco mais complicado e menos lucrativo, mas ainda da pra tirar uma renda extra sim.

      Sobre milhas do cartão de crédito, de uma olhada depois como vc pode trocar, eu prefiro o nubank porque posso "apagar" qualquer compra minha, isto é, uso elas pra diminuir minhas despesas e não comprar coisas.

      Abçs

      Excluir
  3. TR,
    Outra forma de ganhar pontos em programas de pontuação é comprar em sites parceiros também, que as vezes pontua 4 para cada real gasto.

    Você vendia muuuuito! Por isso não viu mais vantagem nessa mudança. Porque com a limitação para 10 CPFs por ano, tendo 4 contas, aí já vão 40 CPFs.
    Realmente não dá mais para lucrar o que você lucrava antes, mas ainda daria para tirar um extra.

    Se a pessoa viaja com frequência, pode valer a pena ainda, pois ela vai usar para ela mesmo e, vez ou outra, vender.

    Como uma renda extra, acho válido.

    Com esse seu relato, observo o motivo que o pessoal tá vendendo cursos de como ganhar milhas aéreas. Eles estão potencializando os ganhos, uma vez que estão lucrando menos com as próprias milhas.

    VlW

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala CP,

      Sim, tem a compra em sites parceiros também, mas não achava vantajoso o preço do milhar, parecer ser muito 4 pontos por real gasto mas não é.

      Sim, tinha 40 CPF, só que quanto o mercado estava mudando e podia acontecer de do nada limitarem pra 1 CPF. Era um risco, foi pra 10, podia ser pra 50 ou pra 5, como estava mostrando sinal de cerco eu preferi sai.

      Mas você está certo, ainda dá pra lucrar e tirar uma renda extra, mas não sei se vale a dor de cabeça dessa renda extra, talvez valha mais apena o investimento convencional.

      Sobre viagens pessoais, não sei se vale a pena, é bem pessoal, eu nunca vi muita vantagens pois a maioria das passagens que comprei pagar no dinheiro valia mais a pena e as passagens por milhas eram muito caras.

      Já sobre cursos, só estamos na era dos cursos mesmo, desde quando eu fazia isso já existia curso de milhas, não é meio que potencializar, é só tentar ensinar algo que já tá aí, compra qm quer. Acho que só estamos vendo mais cursos agora pq virou febre mesmo.

      Abçs

      Excluir
  4. Olá, EI.

    Parabéns! Você é bem esperto. Já tinha ouvido falar nisso, mas nunca tive curiosidade como funcionava.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. EPI de bobo não tem nada! Nunca fui comerciante desse mercado, mas assíduo. Os pontos do meu cartão MasterBlack normalmente também vão pro Clube Smiles, único programa que ainda assino.
    Sempre viajei só por milhas ou bugs bizonhos das cias aéreas. Também sempre usei o Shopping Smiles para fazer compras, normalmente em períodos de campanha de 10 ou 12 pontos por real gasto (tem algas por ano).
    Há quase 1 ano perdi o ímpeto de acompanhar de perto essa saga de milhas, mas ainta tenho certeza de umas 180 mil na Smiles e umas 600 mil no cartão (que podem dobrar ao transferir, como você bem sabe).
    Valeu pela dica da Max Milhas e de priorizar vendas grandes. Vou até estudar isso, pois tenho menos previsão de uso das milhas no horizonte curto. Como as milhas do cartão não expiram, talvez eu as deixe quietinhas para um momento futuro...
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca usei o Shopping pra fazer comprar, sempre fazia a comparação e não valia a pena xD.

      Se eu fosse você faria isso mesmo, guarda esses pontos pra um momento oportuno, agora está muito ruim pra usar, se não achar nada de mais com 600mil convertido pra 1,2kk você consegue uns R$ 24 mil na Maxmilhas.

      Abçs

      Excluir